Quero ir ao Japão, mas não tenho dinheiro

Existem muitas pessoas que sonham em ir ao japão, principalmente no meio otaku, aqui eu darei algumas dicas de como juntar a grana necessária

Posted 3 meses atrás in Educação.

User Image
Killua [MamiloSS]
623 Amigos
200 Visualizações

  Bom, este artigo vai ser bem simplesinho porque estou escrevendo enquanto volto da casa dos meus pais para a faculdade (para propósitos práticos, assuma que eu moro na faculdade) e não tinha um roteiro preparado. Se quiser, tenho uma música pra que você ouça enquanto lê direto do tubo.

  Sei que muitos aqui querem visitar o japão assim como eu,  mas o dinheiro sempre foi um problema ainda mais para um destino conhecidamente caro como esse. Então foi pensando nisso que eu resolvi escrever algumas coisas que fui aprendendo sobre lidar com dinheiro. Não focarei em nada sobre planejar um roteiro de viagem ou sobre as burocracias de se ir ao japão, simplesmente porque eu ainda não fui.

  Antes de começar, tenho algo a dizer às pessoas, geralmente os mais jovens daqui da rede, que não tem uma fonte de renda fixa, ou seja, quem ainda não pode trabalhar e não ganham mesada, este artigo se aplica à essas pessoas também, talvez para essas pessoas não seja necessário tanta profundidade e também não sei se vai ser interessante ou divertido de ler, mas, por favor, sintam-se convidados à leitura.

  Partindo finalmente para as dicas (ou regras, se quiserem ver como algo mais rígido pra ajudar com a disciplina)

  1- Estabelecer uma meta: É crucial estabelecer uma meta pois é aí que você define o quanto precisa e em quanto tempo precisa, seguindo mais ou menos a estimativa que eu fiz uma vez, um pouco desatualizada talvez, a viagem ao japão, passando 7 dias em Tokyo, 7 dias em Hokkaido e 7 dias em Osaka custaria uns 25 mil, e eu pretendo ir depois que me formar, ou seja lá pra 2020, 2021 (4 ou cinco anos pra juntar a partir de hoje). Aqui tem um alerta, como as olimpíadas serão no Japão em 2020 o período vai ser mais caro naturalmente, e além disso, o governo japonês está muito a fim de cobrar impostos sobre turistas para financiar a infraestrutura necessária para o evento, isso cairia diretamente sobre as passagens, sejam elas de avião ou de cruzeiro.

  2- Saber exatamente o que está acontecendo com o seu dinheiro: Existem diversas maneiras de acompanhar a movimentação do seu suado dinheirinho, eu pessoalmente gosto de usar uma planilha do google sheets que construí com a ajuda de um amigo, mas existem muitos aplicativos que ajudam você a monitorar seu dinheiro, por exemplo o próprio aplicativo do Banco do Brasil apresenta seus gastos e separa por categorias, você também tem a liberdade de criar novas categorias e mudar um gasto de uma categoria automática pra uma que você prefira além de que você não tem que ficar adicionando os gastos um a um, já estão todos as movimentações que você fez utilizando o serviço do banco (Eu praticamente só uso meu cartão de débito, então absolutamente todas as movimentações que faço estão lá). Como eu disse uso uma planilha, isso por conta de dois motivos, o primeiro porque fiz ela de forma que me mostre exatamente quanto posso gastar no mês, incluir gastos planejados que não sejam apenas o débito automático (não sei se dá pra incluir um "gasto futuro" no aplicativo) que aparece no aplicativo do banco e o segundo motivo é que eu posso detalhar o gasto com o nível que eu quiser, por exemplo descrever cada ítem que eu comprei no mercado (ok, isso é coisa demais demais pra mim, na planilha eu deixo apenas data, local, descrição geral, mas o amigo que me ajudou com a planilha faz isso pra poder comparar e estimar preços com maior precisão além de comparar preços entre mercados, eu troquei por um caderno onde eu colo todas as notas dos meus gastos, até mesmo aquele comprovante de débito da casquinha de 2,50). Falei bastante dos gastos, mas na planilha que eu fiz coloco também, separado por categorias as receitas e qualquer dinheiro que eu ganhe, afinal economia se resume em gastar menos do que você ganha (e você merece um tapa se não sabe nem o quanto ganha).

  3- Observar suas movimentações e definir estratégias para economizar: Depois de organizar todos os seus ganhos e gastos você verá com maior clareza o que está consumindo tanto seu dinheiro (principalmente se o método que você usou te apresenta gráficos), o quanto você tem usado no total pra viver e principalmente usar esses dados como a sua maior arma, tendo em posse a porcentagem de cada categoria de despesa você consegue encontrar o que mais suga seu dinheiro e pode analisar pontualmente como economizar naquela categoria. Fazendo isso eu descobri que mesmo comendo fora algumas vezes não era alí que eu estava gastando demais, mas sim com supermercado (que é de longe onde mais eu gasto), então criei a estratégia pra economizar no mercado (adeus comida pronta) e não precisarei me obrigar a comer todos os dias a comida ruim do bandeco (apelido carinhoso pra Restaurante Universitário).

  4- Quanto economizar?: Agora começa uma parte de batalha um pouco maior, você tem à sua frente todos os dados de que precisa para definir onde e quanto você quer e pode economizar, mas tem mais algumas coisinhas que eu posso falar e possivelmente vão te ajudar.

  Se você possui dívidas o seu maior objetivo deve ser quitar a dívida o quanto antes, então no seu caso, venda coisas que não usa mais e se desapegue de todo o luxo que tem, você não está em condições de gastar com coisas além do necessário para sobreviver, pelo menos até quitar a dívida, mas depois de paga estabeleça novamente sua vida, com consciência. Eu fortemente recomendo economizar no mínimo 30% do que entra no seu bolso e usar pra pagar a dívida, depois disso você passa ao próximo parágrafo.

  Agora se você tá na boa e até tem um dinheirinho sobrando, pode economizar na porcentagem que te for conveniente, até economizar pra mais de um objetivo ao mesmo tempo se assim quiser. Uma das estratégias que funcionam muito bem (me possibilitou comprar uma mesa digitalizadora em abril do ano passado) foi separar o que eu economizo em três partes, a parte 1 é a que você vai usar pra comprar as coisas que quer (se não tiver dinheiro na parte 1, você simplesmente não compra, simples) sua viagem ao japão entra nesta parte, mas nada impede você de usar ela pra também comprar aquele celular novo, ou um console maneiro, talvez um jogo, a pressa e as prioridades é única e exclusivamente você quem determina, a parte 2 é para que você "construa" uma reserva, afinal você não tem controle de todos os fatores que influenciam sua vida, shit happens, você pode ficar doente e ter que arcar com remédios, o carro que você usa pra trabalhar pode precisar de reparos, e é esse dinheiro que vai te salvar nessas horas, na reserva você coloca dinheiro até que tenha o suficiente pra viver da forma vive hoje por no mínimo três meses e no máximo 6 meses, mais que isso pode ser desnecessário, e a última, a parte 3 vai pra geração de patrimônio, ou seja você guarda pra nesta parte pra ir enriquecendo, neste caso, eu sugiro 10% do que você ganha em cada parte, ou seja 30% do que entra no total. Mas você é livre pra alterar como quiser, eu atualmente estou juntando todo os 30% na minha reserva e cheguei na metade do que eu preciso pra 3 meses, como eu disse, vai da prioridade que você dá para as coisas. A regra dos 50, 15, 35 pode ser uma boa, ela consiste em manter as despesas essenciais nos 50% do que você recebe, economizar 15% e manter 35% para supérfluos.

  5- Economizar de verdade: Você tem tudo que precisa pra economizar, agora sua tarefa é simplesmente fazer disso um hábito, você deve ter sempre em mente o quanto tem pra gastar, ou pelo menos uma forma de consultar, saber distribuir o dinheiro. Uma forma boa de garantir que vai sobrar pelo menos a porcentagem que você definiu é guardá-la, como se você tivesse gasto essa parte, assim você foca só no que de fato pode usar. Se lembrar da sua meta regularmente também pode te ajudar a se manter motivado com a economia, veja fotos do japão, monte uma lista de lugares pra ver, de coisas pra fazer sempre que achar que precisa de uma injeção de ânimo pra continuar, lembre-se de que o seu presente também é importante e permita se presentear com alguns mimos de vez em quando (só não extrapole, se dar mimos pode ser fonte de muitos gastos desnecessários, pra muita gente é inclusive forma de lidar com a tristeza, “estou triste, vamos sair pra fazer compras?”, é claro que se isso te deixa feliz ninguém vai te impedir de fazer, mas fica o alerta pra que não deixe isso se tornar um problema que sai do emocional e atinja o financeiro também), economizar não tem que ser uma tortura. Garanto pra você que depois de passar dois meses zerado, olhar o montinho que eu tenho guardado crescer me dá uma satisfação muito grande, por outro lado, a vontade de usar o dinheiro também é grande, autocontrole é imprescindível.

  6- Investir: Sim! Você sabe que com o tempo o dinheiro que você tem vai perdendo poder de compra, algo que com 100 reais você comprava 5 ontem, hoje você compra 4 e amanhã você compra 3, isso, caro amigo, é efeito da inflação, e investir é ter a possibilidade de garantir que seu poder de compra se mantenha, ou até cresça, por isso é importante, se você só juntar e deixar seu dinheiro parado, você ainda assim está perdendo dinheiro, se quiser perder menos, coloque na poupança, mas saiba que a poupança é um investimento de merda, uma porcaria, um lixo que não rende quase nada, muitas vezes rende menos que a inflação (2015 foi um belo exemplo, quem tinha dinheiro na poupança aquele ano, sinto dizer, mas perdeu grana, e aparentemente 2017 isso vai se repetir) e neste caso você também perde poder de compra, há muitas alternativas de investimentos, eu não tenho como falar deles aqui, ainda mais porque não encontrei um que sirva para mim, mas o que eu posso dizer, é, evite os investimentos direto nos bancos, bancos raramente tem ofertas de investimentos melhores que as corretoras  e se você escolher direitinho, pode encontrar uma corretora confiável com ótimas propostas de investimento. “Ah, mas Killua, eu não tenho dois bilhões pra investir”, pra você cara, tenta encontrar algo no Tesouro Direto, o valor mínimo é de 30 reais, tudo bem que eu não encontrei nenhum título nesse valor ainda, mas eles existem, pode ser que você precise juntar um pouco mais pra investir num título que valha a pena também, mas saiba que você não precisa juntar 1000 reais para poder aplicar.

   Agora que você entende que investir é importante, estude as corretoras, estude os impostos, estude os investimentos possíveis, como o Tesouro Direto e suas subcategorias (incide imposto de renda e iof), ou outros como o CDB, que também incide imposto de renda e iof, mas pode ainda ser muito rentável, LCI e LCA, livres de imposto de renda, porém geralmente os títulos são mais caros, depende muito da oferta e procura e do banco ou corretora que você busca, as vezes 10.000 reais são suficiente, outras vezes 80.000 ou até muito mais, e que também tem um período de carência mínima, ou seja depois de aplicar você tem que esperar um tempo para poder retirar. Aprenda a calcular rentabilidade para poder comparar os investimentos e finalmente poder decidir um.

   7- Aproveite sua viagem: Chegamos ao último item, se você conseguir fazer tudo isso, tenho certeza de que sua viagem ao japão ou qualquer outro objetivo que exija esforços financeiros, poderá ser alcançado e você será recompensado e vai poder aproveitar muito sua viagem.

Chegamos ao fim do artigo~
Eu espero que tenha ajudado a sua viagem a ficar mais próxima, ou que pelo menos tenha te dado uma noção de como gerenciar seu precioso dinheirinho. Obrigado pela leitura! E até um próximo artigo!

 

Ler mais

Article Picture
Ero_Master 2 meses atrás 39 Visualizações
Article Picture
Kurosaki Kiryuin 3 meses atrás 124 Visualizações
Article Picture
Ro N 4 meses atrás 359 Visualizações
Article Picture
Lia <3 3 meses atrás 74 Visualizações